06/12/2018 às 09h13min - Atualizada em 06/12/2018 às 09h13min

Caso Amaro Neto: PM nega tentativa de extorsão

O policial explicou que foi a própria esposa, Keila Bonde Ferreira, com quem é casado há 20 anos, quem contou para ele sobre a relação dela com Amaro, no último dia 30 de novembro

Fonte Gazeta Online

Foto: Ricardo Medeiros

Acusado de tentar extorquir dinheiro do deputado estadual e deputado federal eleito Amaro Neto, o policial militar Fernando Marcos Ferreira prestou depoimento Delegacia Especializada em Repressão aos Crimes Eletrônicos e negou ter pedido qualquer tipo de pagamento para o parlamentar. Segundo o militar, tudo que ele queria era ter uma conversa “de homem para homem” com Amaro.

O policial explicou que foi a própria esposa, Keila Bonde Ferreira, com quem é casado há 20 anos, quem contou para ele sobre a relação dela com Amaro, no último dia 30 de novembro. Ainda segundo o depoimento militar, a mulher conversou com o marido sobre o assunto porque não estaria mais “aguentando as ameaças de Amaro Neto”.

Fernando explicou ainda que a mensagem “ele falou que o silêncio dele tem um preço”, encontrada no celular de Keila e enviada para Amaro, não fazia referência a uma quantia em dinheiro. O militar reforçou que queria apenas conversar com o deputado e negou a prática de qualquer ato de constrangimento ou extorsão.

O acusado contou também que no dia da prisão, recebeu em sua casa, em Campo Grande, Cariacica,  a visita de uma pessoa que não conhecia e que se identificou como assessor parlamentar do deputado, dizendo que teria ido até a casa de Fernando para "resolver uma situação envolvendo dinheiro". O militar contou que, nesse momento, pediu para que o assessor fosse embora. Fernando garantiu ainda que não estava armado e que em nenhum momento manteve conversa por qualquer meio com Amaro.

Em depoimento, o militar garantiu também que não tinha cópias das conversas entre Amaro e Keila, armazenadas no celular da mulher

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »