08/11/2018 às 12h00min - Atualizada em 08/11/2018 às 12h00min

Secretário sobre foragidos no ES: "Polícia faz capturas todos os dias"

Este ano foram cumpridos mais de 7 mil mandados até setembro

Fonte Gazeta Online

Nylton Rodrigues destaca que o número de mandados em aberto é "muito dinâmico" - Foto: Carlos Alberto Silva

Diante do volume de mandados de prisão pendentes, o secretário de Estado da Segurança Pública, coronel Nylton Rodrigues, ressalta que há também um trabalho diário da polícia para cumpri-los. Como esse é um dado que muda todos os dias, é difícil zerar a demanda, diz ele. “Todos os dias a polícia faz capturas”, defende.

Como a polícia atua para cumprir os mandados?

A Polícia Civil e a Polícia Militar realizam, diariamente, ações de cumprimento de mandados de prisão. A polícia faz capturas todos os dias. De janeiro a setembro deste ano, efetuamos a prisão de 1.562 homicidas, fora os outros crimes. Nesse mesmo período, realizamos 2.288 operações policiais e, em cada operação, pode ter sido realizado o cumprimento de um ou mais mandados.

E como é a dinâmica desse trabalho?

A Polícia Militar cumpriu 4.023 mandados em aberto, de janeiro a setembro, nas operações diárias e também através do sistema de inteligência da PM, específico para o cumprimento de mandados.

Como funciona o sistema?

Essas são informações de interesse policial (não podem ser divulgadas), mas posso dizer que é um sistema de policiamento em rede, criado dentro da instituição, especificamente para cumprir mandados.

E a Polícia Civil?

Tem a Superintendência de Polícia Interestadual e Captura, criada especificamente para essa finalidade, e que, nesse mesmo período, cumpriu 3.802 mandados. Desses, 3.032 já estavam nos presídios, ou seja, são indivíduos que estavam presos e contra os quais novos mandados foram expedidos. Outros 770 foram cumpridos em operações de campo. Os serviços de inteligência das polícias estão sempre em vigilância para detectar e executar o cumprimento dos mandados.

Mesmo com mais de 7 mil mandados cumpridos este ano, ainda são quase 11 mil pendentes. Por que esse número é tão elevado?

Esse número é muito dinâmico. Podemos prender 10, e saírem 15 mandados no mesmo dia. Também existem inconsistências. O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) está reformulando o banco nacional para minimizá-las.

E quais são elas?

Duplicidade de mandados, muitos mandados contra uma só pessoa, expedição para pessoas desaparecidas, falecidas e já presas, mandados cumpridos e que ainda não foram baixados do sistema.

Então, que número o senhor acredita que se aproxime do real?

Não dá para apresentar um percentual. O Poder Judiciário acabou de elaborar o novo banco nacional justamente para que o sistema seja mais eficiente. A gente destaca também o alto percentual de resolutividade dos inquéritos porque, se tem mandado contra alguém, tem investigação da polícia. O percentual de resolutividade para inquéritos que apuram homicídios no Estado, em 2018, é de 78%. Nos últimos cinco anos, foi de 60%. A média no Brasil é de 15%.

Mas como elevar o cumprimento de mandados?

A população pode contribuir, informando o paradeiro dos foragidos da Justiça, ligando para o 181. Agora também temos um site (disquedenuncia181.es.gov.br). Nesta página, o internauta consegue, inclusive, anexar fotos e vídeos. O anonimato é preservado porque tudo é criptografado, a mesma segurança usada no sistema bancário.

"MINHA PAZ VAI REINAR QUANDO ELE ESTIVER PRESO"

O cabeleireiro Ronaldo Andrade reagiu com alívio e alegria à condenação do empresário Wagner José Dondoni, em julgamento concluído na madrugada da última terça-feira. Ele foi condenado a 24 anos e 11 meses de prisão, por ser considerado culpado de causar o acidente que matou os dois filhos e a esposa do cabeleireiro. A tragédia aconteceu em 2008, na BR 101, em Viana. Porém, mesmo com sentença confirmada, Ronaldo agora vive a apreensão de saber que Dondoni ainda não foi preso e está foragido. “Minha paz vai reinar quando ele estiver preso”, disse.

“Está sendo muito difícil saber que ele ainda não foi preso. Eu já falei que só conseguiria continuar minha vida normalmente depois que ele fosse julgado, condenado e preso. Ele foi julgado e condenado, mas não foi preso, então eu ainda não estou tranquilo. Eu confio na Justiça e tenho certeza que a polícia vai achá-lo e prendê-lo.“

O cabeleireiro afirma que só terá paz quando Dondoni estiver atrás das grades. “A paz mesmo vai reinar no meu coração quando ele estiver preso. Vamos denunciar, vamos nos ajudar. Não é ajudar só a mim não, porque ele é um assassino. Ele estará nas ruas comentando as atrocidades que ele comete. Eu não quero essa dor que eu sinto para ninguém”, disse Ronaldo.

Em comunicado emitido na manhã de quarta-feira, a Polícia Civil informou que a Superintendência de Polícia Interestadual e Capturas está realizando diligências para encontrar Dondoni. (Eduardo Dias)

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »