07/04/2021 às 13h32min - Atualizada em 07/04/2021 às 13h32min

Hospital Materno Infantil da Serra, ES, começa a atender pacientes com Covid-19

Inicialmente, a unidade possui 30 leitos de enfermaria e quatro leitos semi-intensivos disponíveis. Até o final de maio, a previsão é que haja um total de 152 leitos.

Fonte G1ES
Hospital Materno Infantil da Serra começou a funcionar nesta quarta-feira — Foto: Reprodução/TV Gazeta

Começa a funcionar, a partir desta quarta-feira (7), o Hospital Estadual Materno Infantil da Serra, na Grande Vitória, que neste momento será utilizado exclusivamente para o atendimento de pacientes da Covid-19.

Os pacientes estão sendo transferidos para o novo hospital nesta manhã e todo o processo está sendo coordenado pela Central de Regulação de Vagas. Chegarão à unidade pessoas que estão internadas em pronto atendimentos e em unidades de pronto atendimento, mas que necessitam de um hospital.

A abertura do novo hospital acontece no momento em que o Espírito Santo enfrenta um crítico aumento do número de casos confirmados e, consequentemente, de internações em função da Covid-19, que têm pressionado as redes de saúde pública e privada. Atualmente, a taxa de ocupação de leitos de UTI no estado é de 93,22%.

De acordo com informações do governo estadual, por enquanto o Hospital Materno Infantil possui disponíveis 30 leitos de enfermaria e quatro leitos semi-intensivos, para estabilização de pacientes mais graves.

No entanto, a previsão é de que até o final de maio, a unidade passe a contar com um total de 152 leitos. Somente ao longo dos próximos 30 dias, mais 90 deles deverão ser abertos, todos de enfermaria. Os outros 32 serão inaugurados no final de maio, sendo 13 de enfermaria e 19 de UTI.

"Estamos em fase de conclusão dos leitos de UTI, mas os leitos de enfermaria estão disponíveis, juntamente com a sala de estabilização", explicou o subsecretário estadual de Regulação, Gleikson Barbosa dos Santos.

A obra do hospital custou cerca de R$ 100 milhões e durou cerca de seis anos. Ele foi inaugurado em setembro do ano passado. Em dezembro, o governo estadual assumiu a gestão da unidade. Foram quatro meses até o início das atividades.

Segundo Gleikson Barbosa, esse foi o tempo necessário para que fossem feitas adequações estruturais para que o local possa receber os pacientes da Covid-19.

"Ao mudar o perfil do hospital, nós precisamos fazer adequações, por exemplo, a implantação de um tanque de oxigênio para enfrentamento da Covid-19", explicou o subsecretário.

Enquanto funciona exclusivamente para atender pacientes com Covid-19, o Materno Infantil será um anexo do Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves, que é referência no tratamento da doença.

As vagas abertas na nova unidade possibilitarão a abertura de mais 30 vagas de UTI no Jayme. Somente após a pandemia, o Materno Infantil passará a atender mulheres grávidas e crianças.

Ele também será administrado pela mesma organização social que administra o Hospital Jayme. Para o início das atividades, quase 230 funcionários foram contratados. Até o final de maio, segundo o governo, serão quase 600 servidores

Link
Notícias Relacionadas »