23/03/2021 às 22h34min - Atualizada em 23/03/2021 às 22h34min

Coreia do Norte faz 1º teste com mísseis durante governo de Biden, dizem funcionários da Casa Branca

Lançamento ocorreu dentro da margem considerada 'normal' pelos EUA e envolveu projéteis de curto alcance. Governo americano tenta renovar plano de ação sobre o regime de Kim Jong-un após relação se estagnar.

Fonte G1
O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, durante congresso de seu partido em Pyongyang, em 8 de janeiro — Foto: Korean Central News Agency/Korea News Service via AP

A Coreia do Norte fez testes com mísseis no fim de semana, informaram funcionários da Casa Branca a agências de notícias e jornais nesta terça-feira (23). Foi a primeira operação do tipo desde que Joe Biden tomou posse como presidente dos Estados Unidos.

De acordo com o jornal "The Washington Post", os testes foram feitos com mísseis de curto alcance. A ação ocorreu apenas dias depois de encarregados da diplomacia e da defesa dos EUA visitaram a Ásia, inclusive com encontro com representantes da Coreia do Sul.

À agência Reuters, um funcionário do governo americano disse que o alerta faz parte das atividades militares "normais" da Coreia do Norte, e que os testes não fechariam uma possível porta aberta para diálogo entre a Casa Branca e o regime de Kim Jong-un.

Geralmente, quando testes do tipo ocorrem, o próprio governo norte-coreano ou observadores da Coreia do Sul detectam e avisam. Desta vez, o teste foi comunicado pelos funcionários dos EUA apenas dias depois.

Ainda de acordo com o representante da Casa Branca ouvido pela Reuters, o governo Biden vai traçar um plano de ação sobre a Coreia do Norte e ouvirá a Coreia do Sul e o Japão — dois grandes inimigos do regime de Kim.

Volta das tensões


Equipamento militar é visto em desfile para celebrar o oitavo Congresso do Partido dos Trabalhadores em Pyongyang, na Coreia do Norte, em janeiro — Foto: KCNA via Reuters


A aproximação ensaiada entre EUA e Coreia do Norte no governo de Donald Trump em 2018 acabou se estagnando no ano seguinte, após as duas partes não conseguirem dar seguimento a um acordo.

O regime norte-coreano disse na semana passada que vai ignorar qualquer tentativa de contato feita pelos Estados Unidos enquanto Washington não abandonar o que chamou de "política hostil". E a irmã de Kim Jong-un, Kim Yo-jong, também advertiu os EUA a não "espalharem cheiro de pólvora" na Península Coreana.

No início deste ano, dias antes da posse de Biden, o regime norte-coreano exibiu armas em um grande desfile militar na capital Pyongyang.

Link
Notícias Relacionadas »