12/01/2021 às 14h18min - Atualizada em 12/01/2021 às 14h18min

Após desentendimento, mulher atira na cunhada em Linhares

A mulher confessou o disparo, mas alegou legítima defesa e foi liberada no mesmo dia após prestar depoimento. A vítima está em coma no hospital

Fonte Agazeta
Delegacia Regional de Linhares, onde o caso foi registrado . Crédito: Eduardo Dias

Uma dona de casa de 37 anos foi baleada na cabeça. O caso aconteceu sábado (8), no bairro Interlagos, em Linhares, no Norte do Estado. A cunhada dela, 30 anos, confessou ter atirado na mulher, mas alegou legítima defesa e foi liberada no mesmo dia após prestar depoimento. A vítima está em coma no hospital.

De acordo com a Polícia Civil, a ocorrência foi registrada como invasão de domicílio. A mulher disse em depoimento que atirou porque teve a casa invadida pela vítima durante uma discussão.

Segundo a polícia, informações coletadas apontam que a vítima invadiu a residência da cunhada e a agrediu usando uma vassoura e uma barra de ferro. Para se defender, a mulher usou a arma do marido e disparou contra a dona de casa, que foi hospitalizada.

Ainda de acordo com a polícia, a autora se apresentou aos policiais, foi conduzida à delegacia, ouvida e liberada pela autoridade policial, que entendeu tratar-se de legítima defesa. A arma está devidamente registrada.

VÍTIMA EM ESTADO GRAVE

Nesta segunda-feira (11), familiares foram até o Hospital Geral de Linhares (HGL) e ficaram sabendo que a vítima continua em estado grave. “Ela teve três perfurações no crânio. E o estado dela está gravíssimo. O médico deu pouca esperança para ela”, disse o irmão da dona de casa.

No final da tarde, o hospital atualizou, em nota, o estado de saúde da vítima. “A direção do Hospital Geral de Linhares (HGL) informa que a paciente está em coma induzido e com estado de saúde considerado grave, porém estável".

Alguns familiares dizem que a  dona de cas não invadiu a casa da cunhada e foi baleada na escada. “Ela não entrou na casa. A única coisa que ela fez foi subir três degraus da residência”, relatou uma prima. Ela conta que presenciou a confusão.

Apesar da mulher ter sido liberada, o delegado chefe da Delegacia Regional de Linhares, Fabrício Lucindo, reforçou que as investigações ainda estão em andamento. “Depois de fazer uma apuração minuciosa e ouvir todas as versões dos fatos, a gente vai dizer se foi um caso de homicídio tentado ou legítima defesa”, explicou
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »