16/10/2020 às 19h52min - Atualizada em 16/10/2020 às 19h52min

'É uma dor que não vai se curar nunca', diz mãe de criança morta por chow-chow em MG

Maria Cecyllia Oliveira Souza foi mordida pelo cachorro na região da cabeça e não resistiu aos ferimentos.

Fonte G1
 Fabíola e Maria Cecyllia, de 1 ano e 5 meses, que foi atacada por um chow-chow — Foto: Fabíola Oliveira/Arquivo Pessoal

A mãe de Maria Cecyllia Oliveira Souza, de 1 ano e 5 meses, que morreu após ser mordida na região da cabeça por um cachorro da raça chow-chow, desabafou nas redes sociais e fez um alerta para outros pais de crianças pequenas que têm cães em casa: “Fiquem de olho aberto, por favor”.

O caso aconteceu na véspera do Dia das Crianças, na zona rural de Frei Inocêncio (MG). Segundo Fabíola Oliveira da Silva, de 30 anos, mãe da menina, o cachorro estava na casa da família havia quatro meses. O pai de Maria Cecyllia contou à Polícia Militar que o animal estava amarrado e que ele estranhou quando a criança se aproximou.

De acordo com a PM, ao ver que a criança estava sendo atacada, o pai tentou socorrê-la e também foi mordido. Os dois foram levados hospital, porém Maria Cecyllia não resistiu aos ferimentos.

Fabíola conta ainda que a filha sempre brincava com o animal e que ele nunca demonstrou agressividade.

“A convivência dela com ele era normal, ela sempre brincava com ele. Nunca mostrou ser agressivo, sempre foi dócil até demais”, contou.

Fabíola está grávida e prestes a dar à luz o quarto filho. Ela disse ao G1 que ainda está muito abalada com o que aconteceu.

“É uma dor que não vai se curar nunca, nem dormir direito a gente consegue. Acordar à noite, olhar para o lado e saber que está faltando alguém junto de você, é muito triste”, lamentou.

Depois do acidente, Fabíola contou que algumas pessoas perguntaram a ela se eles iriam manter o cachorro em casa.

“Quando viemos para cá no dia do acidente, chegou um pessoal e perguntou se a gente ia querer o cachorro lá no lugar ainda. Falamos que não íamos querer ele lá. Então, eles o retiraram, mas não sei para onde levaram, não sei quem pegou, não conheço. Só chegaram lá e falaram que iriam retirar o cachorro de lá”, contou.

Desabafo nas redes sociais


Maria Cecyllia, de 1 ano e 5 meses, que morreu após ser atacada por um chow-chow — Foto: Fabíola Oliveira/Arquivo Pessoal


Dois dias após perder a filha, Fabíola postou uma mensagem nas redes sociais, agradecendo a todas as pessoas que deram apoio após a morte de Maria Cecyllia. Na publicação, ela também pede forças.

“Passando aqui para agradecer a todos vocês que me apoiaram na hora mais difícil da minha vida. Meu Deus, me dá força, por favor, para aguentar o que estou vivendo. Meu coração está sangrando pela sua partida. Que falta que você me faz, minha filha”, disse.

Ao G1, Fabíola fez um alerta aos pais que têm crianças e cachorro em casa. Segundo ela, é preciso ficar de olho e tomar cuidado.

"A gente pede para a pessoa ficar sempre de olho, quem tem criança pequena em casa, que tem um animal, um cachorro desses, mesmo sendo de outra raça”, afirmou.

Ela lamentou que tenha recebido críticas na rede social ao postar o alerta.

“Tem muita gente que está nos criticando, nos julgando. A gente está querendo passar um alerta para os pais que têm cachorro em casa, que têm criança pequena, porque o sofrimento que nós estamos passando, nós não desejamos a ninguém”, contou.

Fabíola disse ainda que não está sugerindo que as pessoas se desfaçam dos animais de estimação, apenas que tomem cuidado
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »