16/09/2020 às 09h30min - Atualizada em 16/09/2020 às 09h30min

Restrições nas voltas às aulas no ES envolvem cordões, brincos e até chupetas

Lista contém as orientações do Conselho Estadual de Educação (CEE) para o retorno às aulas e é sugerido que façam parte de um plano de retorno a ser desenvolvido por cada escola

Fonte A Gazeta
Volta às aulas no Espírito Santo. Crédito: Divulgação/Prefeitura de Linhares

Sem brincos, cordões e de cabelos presos. E nada de chupeta amarrada a uma fralda. A proposta faz parte de um conjunto de orientações elencadas pelo Conselho Estadual de Educação (CEE) para o retorno às aulas presenciais no Espírito Santo, publicadas no Diário Oficial do Estado nesta terça-feira (15).

Segundo o documento, são diretrizes para reorganização do calendário e das atividades escolares no contexto da pandemia da Covid-19. “O Conselho Estadual de Educação do Espírito - CEE-ES - apresenta alguns parâmetros para orientar protocolos a serem elaborados pelas unidades escolares que integram o Sistema de Ensino do Estado do Espírito Santo no período de isolamento social e no planejamento da retomada das atividades presenciais”, diz o texto.

Dentre as medidas elencadas pede-se que seja evitado o “uso de adereços como brinco, pulseira, anéis, etc. e usar preferencialmente o cabelo preso”.

É destacado ainda que se evite “o uso e reúso de lenços de pano e chupeta amarrada na fralda”. E ainda, que “cada estudante traga e utilize sua própria garrafa de água, utilizando os bebedouros comuns apenas para encher essas garrafas novamente”.

Outra medida é que os familiares dos alunos são orientados a só usarem o uniforme da instituição no trajeto entre casa e escola.

DIVISÃO POR ÁREAS

As orientações foram divididas por grupos: estruturais, de distanciamento social, de higiene, pedagógicas e de acolhimento. E para cada um deles há um conjunto de medidas propostas.

No distanciamento social, por exemplo, é pedida a suspensão temporária de jogos, competições, reuniões e comemorações e “evitar a entrada de pessoas externas ao corpo de funcionários (fornecedores, equipes de manutenção e outros) nos horários de realização de atividades presenciais”.

As escolas devem reorganizar o calendário, “considerando objetivos de aprendizagens que foram definidos como essenciais, contemplando, no planejamento, diversas estratégias didáticas remotas e presenciais combinadas”.

CONFIRA ALGUMAS MEDIDAS DE HIGIENE
• Promover campanhas para conscientização da higienização de materiais como roupas, sapatos,  mochilas, bolsas e pastas;
• Orientar as famílias, quando for o caso, para que os materiais levados à escola pelos alunos venham higienizados de casa;
• Orientar as famílias que o uniforme (quando for o caso) deverá ser utilizado apenas na escola e no trajeto casa - escola - casa;
• Orientar sobre a obrigatoriedade da higienização frequente das mãos, especialmente na chegada à escola, antes e após as refeições, após ida ao banheiro e, se possível, uma vez a cada duas horas ao longo do dia;
• Reforçar a técnica adequada de higienização das mãos, conforme orientação do Ministério da Saúde;
• Elaborar fôlderes informativos com orientações técnicas e afixá-los em locais adequados;
• Realizar atividade lúdica educativa para as crianças menores aprenderem os cuidados básicos de higienização das mãos e de uso de máscaras que cubram nariz e boca; - Evitar o uso de adereços como brinco, pulseira, anéis, etc. e usar preferencialmente o cabelo preso.
• Descrever e afixar medidas educativas em linguagem e comunicação adequadas ao público;
• Evitar o uso e reúso de lenços de pano e chupeta amarrada na fralda;
• Orientar para o uso de lenços descartáveis ou do antebraço (cotovelo dobrado) ao tossir ou espirrar;
• Realizar atividades de conscientização com os estudantes para evitar tocar olhos, boca e nariz;
• Orientar para que cada estudante traga e utilize sua própria garrafa de água, utilizando os bebedouros comuns apenas para encher essas garrafas novamente;
• Orientar que as garrafas de água dos estudantes sejam higienizadas, antes de sua utilização na escola e ao chegar a casa, todos os dias;
• Evitar o uso de água diretamente do bebedouro;
• Evitar levar brinquedos pessoais à escola e dar preferência às atividades recreativas ao ar livre;
• Utilizar materiais e brinquedos de fácil higienização com álcool 70% ou lavagem com água e sabão;
• Motivar e zelar pelo uso de máscaras (é contraindicado o uso de máscaras em crianças menores de dois anos, pelo risco de sufocação, e em indivíduos que apresentem dificuldade em removê-las.  As máscaras devem ser trocadas a cada duas a quatro horas, ou antes, se estiverem sujas, úmidas ou rasgadas);
• Atentar-se para o momento da troca de fraldas, mantendo a higienização das mãos dos profissionais e das crianças, bem como da bancada, antes e depois da muda de fralda, devendo embalar em saco plástico cada fralda suja antes do descarte ou troca contínua do lixo;
• Fixar como regra segura que as peças de roupas devem ir para casa em saco plástico fechado.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »