13/08/2020 às 09h10min - Atualizada em 13/08/2020 às 09h10min

"Um perigo", diz motorista sobre trecho "sem dono" da BR 262 em Cariacica

Recapeamento foi interrompido justamente na parte da via que começam os buracos. Trecho está sendo retomado pelo Dnit, que promete incluir manutenção em novo contrato

Fonte A Gazeta
Buracos em trecho da BR-262 preocupam motoristas. Crédito: Carlos Alberto Silva

Motoristas e motociclistas que passam pela BR 262, em Cariacica, estão se deparando com uma cena perigosa, mas também curiosa em um trecho na altura do bairro Vila Capixaba, próximo a um shopping da região. Trata-se de uma parte da via que recebeu manutenções até um certo ponto, deixando um trecho de 700 metros bastante irregular e com buracos. O trecho citado é uma parte da rodovia que ficou “sem dono” nos últimos anos e agora está sendo retomada pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit).

O motorista de ônibus Flávio Coelho, de 42 anos, contou à reportagem de A Gazeta que já chegou a se acidentar de moto no trecho. "Me envolvi em um acidente no dia 25 de abril deste ano. Eu estava vindo de Campo Grande, sentido Viana, e passei com a moto nessas ondulações, perdi o controle e caí sozinho. A Polícia Rodoviária Federal e o Samu estiveram no local, e classificaram as minhas lesões como graves", disse. De acordo com Flávio, foi constatado que a causa do acidente foi devido às condições da via, e ele afirma que ficou 45 dias afastado do trabalho.

"Contratei um advogado que está montando um processo para entrar na Justiça contra o Dnit, que seria o responsável pela via. Inclusive o advogado me pediu para juntar provas — como receituário médico e avaliação do conserto da moto, que ficou em cerca de R$ 25 mil", disse o motorista.

"Essa moto era um sonho pra mim. Venho de uma família humilde, não temos muitos recursos. Comprei e realizei esse sonho. Eu usava mais para lazer e aí, por uma irresponsabilidade da via, quase que eu coloco tudo a perder, até a minha própria vida. Isso tudo devido a um descuido do serviço público. Pagamos impostos e tudo, e nos deparamos com esse tipo de situação" Flávio Coelho - Motorista de ônibus

APÓS TRECHO RECAPEADO

O sociólogo Robson Rangel, que também passa pelo local todos os dias, conta um pouco sobre a situação vivida pelos condutores. Segundo ele, os buracos começam imediatamente após um trecho que foi recapeado recentemente.

“Quem passa por ali não entende isso. A pista foi recapeada até um certo ponto. Mas, logo em seguida, começam os buracos. É um trecho perigoso, o motorista precisa reduzir a velocidade para desviar e não danificar o carro. Com isso, quem vem atrás, se não estiver atento, pode causar um acidente mais grave. Em dias de chuva é pior, já que os buracos ficam cobertos, deixando a situação ainda mais complicada”, contou.

TRECHO “SEM DONO”

O trecho citado por Flávio e Robson tem 700 metros. É uma parte da via que ficou "sem dono" nos últimos anos. Quem explica a situação do local é o superintendente regional do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), Romeu Scheibe Neto, em entrevista concedida à produção da TV Gazeta. Ele conta que o ponto, do Km 6.4 ao Km 7.1, era inicialmente previsto para ser contemplado no contrato de concessão da BR 101. No entanto, oficialmente, isso não aconteceu.

“O problema é que como existia essa intenção, esse mesmo trecho entrou no Sistema Nacional de Viação (SNV), que é um documento que lista as áreas em que o Dnit pode atuar, classificado como 'concedido', impossibilitando o Dnit de atuar nele, justamente por estar classificado no sistema assim”, disse.

Depois de identificar o problema, o órgão solicitou a correção em 2019 para que o segmento “voltasse” para a responsabilidade do Dnit no SNV. Segundo Scheibe, a alteração aconteceu “muito recentemente” e, agora, o Dnit está trabalhando para fazer um novo contrato de manutenção, que contemple o novo trecho.


Buracos na BR-262. Crédito: Carlos Alberto Silva

“O Dnit está fazendo um levantamento das necessidades da rodovia para fazer uma licitação ao longo deste ano e contratarmos, até o final do ano um novo contrato de manutenção da BR 262, que a gente chama de Plano Anual de Trabalho e Orçamento. Nesse novo plano, este trecho mencionado vai estar contemplado com manutenção. E aí a gente vai poder atuar”, afirmou.

Sobre a reclamação dos usuários, o superintende reconhece que o trecho está irregular, mas afirma que a via terá a pavimentação adequada, assim que o segmento estiver contemplado nos contratos de manutenção da rodovia.

“Antes da gente contratar, foi necessário fazer toda essa gestão, que antecede ao período que eu estava na superintendência. Não sei o que aconteceu para trás, por que esse segmento foi tirado do Dnit sem que houvesse a colocação do trecho no contrato de concessão. O usuário tem razão: está feio, é um segmento crítico, que, infelizmente, a gente não consegue atuar, por enquanto. Fizemos intervenções nas vias urbanas de Cariacica, mas paramos do Km 6.4 até o Km 7.1, que era o nosso limite legal. Mas está no nosso radar fazer esse segmento tão logo ele esteja no contrato de manutenção”, completou
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »