04/08/2020 às 12h49min - Atualizada em 04/08/2020 às 12h49min

Pais dos alunos da rede pública não querem retorno das aulas presenciais durante a pandemia em Baixo Guandu, ES

Com informações da PMBG
Secretária Cenira com equipe pedagógica da Educação: a pandemia exigiu mudanças no ensino.

Uma ampla pesquisa realizada pela Secretaria Municipal de Educação de Baixo Guandu, mostrou que a maioria dos pais dos alunos não querem o retorno das aulas presenciais nas escolas, enquanto durar a pandemia da COVID-19.

Na pesquisa foram ouvidos, de forma virtual, 1896 pais de alunos da Educação Básica e mais 392 pais da Educação Infantil, com resultados que mostram o temor de que o retorno às aulas presenciais possa contaminar as crianças e adolescentes.

Na Educação Básica, conforme o resultado da pesquisa, os pais responderam da seguinte forma à pergunta:

Caso os governantes e a saúde pública autorizem a volta às aulas seguindo os protocolos de segurança, você como pai/responsável encaminharia seu filho (a) a escola?

51,4% responderam NÃO
26,1% NÃO SOUBERAM RESPONDER
22,5% responderam SIM

A mesma pergunta foi dirigida aos pais/responsáveis dos alunos da Educação Infantil, com os seguintes resultados:

54,8% responderam NÃO
22,7% responderam SIM
22,4% NÃO SOUBERAM RESPONDER

A secretária de Educação Cenira Antônia da Silva, explicou que a pesquisa teve como objetivo ouvir a opinião dos pais ou responsáveis pelos alunos, já que as aulas presenciais estão suspensas desde o dia 28 de março.

"Nós constatamos uma forte preocupação com o retorno das aulas nas escolas, o que se justifica pela gravidade da pandemia. Ninguém quer ver seu filho ou filha correndo riscos de ser contaminado pela doença", afirma a secretária Cenira, que concorda com a determinação do Governo do Estado em manter, neste momento, as escolas fechadas.

Em Baixo Guandu desde 15 de abril os alunos da rede pública estão estudando via online, através de grupos de whatsapp ou via computador, com acompanhamento permanente dos professores. Os alunos que não tem acesso a estas tecnologias, especialmente no interior, estão recebendo apostilas em casa e sendo orientados como proceder.

Neste mês de agosto a Educação vai passar para a fase avaliativa das tarefas, visando completar a carga horária e garantir que os 4.197 estudantes da rede municipal não percam o ano.

"A Educação teve que se reinventar em 2020 e só temos que parabenizar o esforço dos professores, pedagogos e demais profissionais da área, que estão se dedicando de forma extraordinária para garantir o ano letivo", assegura a secretária Cenira, que também elogia os pais ou responsáveis pelos alunos.

"Eles estão sendo compreensivos, ajudando as crianças no aprendizado e interagindo muito com nossos profissionais da Educação. Com todos empenhados, vamos juntos salvar o ano letivo", argumenta a professora Cenira
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »