01/08/2020 às 11h30min - Atualizada em 01/08/2020 às 11h30min

"Não encontrado" é o bairro com mais casos de coronavírus em Colatina

No município, 7,15% do total de infectados estão nessa situação; especialista afirma que isso pode prejudicar o acompanhamento dos infectados e de seus contatos

Fonte A Gazeta
Centro de Colatina . Crédito: João Henrique Castro

A cidade de Colatina, no Noroeste do Espírito Santo, é umas das que mais registra casos do novo coronavírus no interior do Estado. Segundo o Painel Covid-19, mantido pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) e atualizado pelas prefeitura, 3.716 pacientes já foram contaminados no município. Entre eles, um dado chama atenção: 266 aparecem como residentes do “bairro não encontrado”. O número é suficiente para deixar a “região” como a campeã de registros em Colatina.

Esses 266 pacientes contabilizados sem o bairro correspondem a 7,15% do total de infectados. Para efeito de comparação, a taxa é muito superior ao registrado na cidade vizinha de Linhares, município com mais casos no interior do ES, onde 9 dos 4.371 pacientes constam nos registros sem o bairro de residência, apenas 0,2%.


"Bairro não encontrado" é campeão de registro em Colatina. Crédito: Reprodução/ Sesa

Na visão da enfermeira e epidemiologista Ethel Maciel, pós-doutorada em Epidemiologia pela Johns Hopkins University e professora titular da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes), a situação pode prejudicar o acompanhamento da doença no município.

"Os dados da localização exata dos casos infectados são muito importantes, porque vão guiar todo processo de vigilância epidemiológica, inclusive para busca dos contatos dessas pessoas" Ethel Maciel - Enfermeira e epidemiologista

Além disso, a especialista aponta que saber o local exato dos casos é importante para estabelecer estratégias mais efetivas de combate.

“É muito importante saber exatamente onde está o maior número de casos e óbitos. Com isso, pode-se fazer políticas públicas melhores, mais concentradas, o que chamamos de vigilância epidemiológica territorial. Você delimita aquele espaço e faz uma análise do que está acontecendo ali, se tem algum ponto de aglomeração, se está relacionado a alguma atividade específica. Então é importante essa localização exata para que essa vigilância epidemiológica de base territorial seja efetiva, e principalmente para auxiliar o trabalho da saúde da família que é agora fundamental para que as pessoas que estão doentes possam ser monitoradas", explicou.

PREFEITURA AFIRMOU QUE SITUAÇÃO NÃO PREJUDICA ACOMPANHAMENTO

Procurada por A Gazeta, a Prefeitura de Colatina, por nota, definiu a situação como “apenas uma falha no registro da notificação”. O Executivo explicou que a situação surge quando o endereço é informado de forma errada ou incompleta. E reforçou que esses casos não são de um único local. Além disso, a administração municipal salientou que faz o acompanhamento de todos os contaminados por telefone.

“Todos têm localização, telefone de contato e locais. Na hora de preencher o formulário, alguns divergem o endereço, como nome de rua que não existe. Por isso ao finalizar aparece endereço não encontrado”, disse a nota.

O Executivo afirmou ainda que segue fazendo um levantamento junto aos pacientes para atualização das informações.


Prefeitura de Colatina. Crédito: Larissa Avilez

O QUE DIZ A SESA


Em nota, a Sesa destacou que que a Vigilância em Saúde já está em contato com os municípios, orientando para o preenchimento correto dos bairros nas notificações de casos da Covid-19 no sistema E-SUS VS, já que o cadastro é realizada pelos municípios. Quando há inconsistências, as informações são requalificadas.

 
 

 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »