13/07/2020 às 08h48min - Atualizada em 13/07/2020 às 08h48min

Mais de 400 profissionais da Saúde atuam no município na prevenção e combate à COVID-19

Com informações da PMBG
Um verdadeiro exército. Assim pode ser definido o grande número de profissionais da área de Saúde que atuam diariamente em Baixo Guandu nas ações de prevenção e combate à COVID-19.

São mais de 400 profissionais, ligados ao município e ao Estado, que trabalham 24 horas por dia em Baixo Guandu nas ações contra a pandemia, uma equipe gigantesca para enfrentar um inimigo comum: o novo coronavírus.

São médicos, enfermeiros, farmacêuticos, agentes de saúde, equipes das Unidades Básicas de Saúde, equipes da Vigilância em Saúde, assistentes sociais, motoristas, pessoal da limpeza, atendentes, enfim, um grupo enorme que se dedica a salvar vidas em tempos de pandemia.

"Temos que render nossas homenagens a todos estes profissionais, que são incansáveis na luta diária", afirma o prefeito Neto Barros, que acompanha diariamente as ações na área de Saúde com a preocupação de manter sob controle a evolução da pandemia.

Para a secretária municipal de Saúde, Terezinha Bolzani, a mobilização de tantas equipes de Saúde para um objetivo comum é necessária.

"Temos um inimigo poderoso, que é o novo coronavírus, assombrando o mundo o ceifando milhares de vidas. Combater esta pandemia é uma luta árdua e diária que envolve profissionais muito dedicados, a quem só temos que agradecer, são verdadeiros heróis", afirma a secretária de saúde de Baixo Guandu.

Na área estadual, são cerca de 250 profissionais atuando apenas no hospital dr João dos Santos Neves, que tem hoje 30 leitos voltados ao atendimento regional em casos leves e moderados da COVID-19.

Na área municipal, são mais de 150 profissionais de Saúde envolvidos diretamente na luta contra a pandemia, atuando nas UBS, na Vigilância em Saúde, na área administrativa e nas ações de campo.

Baixo Guandu é hoje uma referência regional na prevenção e combate à COVID-19 e o município tem conseguido manter sob controle o número de casos locais. Não houve uma explosão de contaminados e a luta maior é exatamente conter a disseminação do vírus.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »