01/07/2020 às 09h17min - Atualizada em 01/07/2020 às 09h17min

Acusado de matar médica, Hilário Frasson é expulso da Polícia Civil

Decisão da última instância administrativa de recursos dos servidores foi publicada no Diário Oficial desta segunda-feira (29). Segundo a Secretaria de Segurança, o investigador “já não faz mais parte da instituição”.

Fonte A Gazeta
Investigador da PC Hilário Frasson. Crédito: Fernando Madeira | A Gazeta

Acusado de mandar matar a ex-mulher, Hilário Antônio Fiorot Frasson foi expulso dos quadros da Polícia Civil. A decisão foi Conselho Estadual de Correição (Consecor), a última instância de recursos administrativos no Estado dos servidores públicos civis e militares. O investigador vai enfrentar o banco dos réus pelo assassinato da médica Milena Gottardi.

Por nota, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (Sesp) informa que Hilário “já não faz mais parte da instituição”, ao se referir à Polícia Civil. “A decisão do Consecor, presidido pela Secretaria de Controle e Transparência do Estado (Secont), manteve, após análise do processo, a decisão do Conselho de Polícia Civil, que decidiu pela expulsão de Hilário Frasson dos quadros da Corporação, sendo essa a última instância administrativa. A partir desse momento, o citado já não faz mais parte da instituição”, diz.

A decisão do Consecor foi tomada em reunião ordinária realizada no dia 28 de maio de 2020. Publicada no Diário Oficial do Estado desta segunda-feira (29), ela não traz o nome do policial, mas o fato foi confirmado pela reportagem.

Trata-se da Resolução Deliberativa Consecor nº 027/2020, cujo texto informa: “O Consecor, acompanhando por unanimidade o voto do Conselheiro Relator, decide pelo não provimento do recurso interposto, mantendo sem reparos a decisão 005/2020 do Conselho da Polícia Civil, que manteve a decisão 060/2019, que aplicou a penalidade ao servidor.”

Por nota, a Secretaria de Estado de Controle e Transparência (Secont), cujo secretário Edmar Camata preside o Conselho, informou: “O Conselho Estadual de Correição é responsável por julgar em última instância os recursos administrativos interpostos pelos servidores públicos civis e militares. Não há, portanto, a possibilidade de recurso administrativo à decisão do Conselho”.

Em janeiro deste ano, o Conselho da Polícia Civil já havia decidido pela expulsão do investigador. Em seguida o processo foi encaminhado para o Consecor, que manteve a decisão da PC, pela expulsão do investigador.

O CRIME

O crime aconteceu no estacionamento do Hospital Universitário Cassiano de Moraes (Hucam), localizado em Maruípe, Vitória. A pediatra Milena Gottardi morreu após ser baleada na cabeça quando saía do trabalho, em setembro de 2017. Hilário, que estava  separado da vítima,  e o pai dele, o fazendeiro Esperidião Frasson, foram acusados de serem os mandantes do crime.

Outras quatro pessoas foram também denunciadas: Dionathas Alves é acusado de ter atirado na médica; o lavrador Valcir Dias e Hermenegildo Palaoro Filho, conhecido como Judinho, são apontados como intermediários do crime. Por fim, Bruno Broetto é acusado de ter fornecido a moto do crime.

A defesa de Hilário não foi localizada para se manifestar sobre o assunto
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »