24/06/2020 às 11h08min - Atualizada em 24/06/2020 às 11h08min

Golpista é preso suspeito de ameaçar e reter cartões de benefícios de indígenas em MG

Prisão foi efetuada pela Polícia Federal. Investigação apontou que uma das vítimas teria sido torturada por ter cancelado um dos cartões

Fonte Estado de Minas
(foto: Polícia Federal/Divulgação)

Um homem foi preso pela Polícia Federal na manhã desta quarta-feira (24), em Santa Helena de Minas, no Leste do estado, suspeito de reter cartões de benefícios sociais de indígenas da etnia Maxakalis sob ameaça e violência.  

As investigações começaram em janeiro deste ano, quando a PF identificou um homem com histórico de crimes na região. Ele era apontado como um dos principais responsáveis pela retenção de cartões de benefícios sociais de indígenas, além disso, teria torturado uma vítima que cancelou um de seus cartões, para tentar se livrar da retenção indevida.

Também são investigados um vereador, um funcionário terceirizado da Fundação Nacional do Índio (FUNAI) e quatro comerciantes supermercadistas, suspeitos de posse ilegal de cartões.

Os envolvidos no esquema teriam o monopólio sobre os valores de produtos comercializados e, com a posse dos cartões, cobravam valores exorbitantes pelas mercadorias vendidas. Dessa maneira, eles teriam tirado vantagem e gerado prejuízos aos indígenas.

Ao todo foram cumpridos nove mandados judiciais, sendo um de prisão preventiva e oito de busca e apreensão. Seis deles foram cumpridos em Santa Helena de Minas e outros dois foram cumpridos em Bertópolis e Ladainha, também no Leste do estado.

Os envolvidos responderão por estelionato, extorsão e associação criminosa. A pena para os crimes pode chegar a 24 anos e meio de reclusão, se forem condenados. O homem que foi preso também responderá por tortura, crime com pena de até oito anos, em caso de condenação.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »