14/02/2020 às 21h51min - Atualizada em 14/02/2020 às 21h51min

Polícia Civil de Baixo Guandu prende suspeito de envolvimento na morte de comerciante

Os policiais civis cumpriram o mandado de prisão no início da noite desta última quinta-feira (14).

Fonte Redação Portal Guandu
Policiais civis da delegacia de Baixo Guandu - Foto Reprodução 15 ª Delegacia Regional de Colatina

Policiais civis de Baixo Guandu cumpriram no início da noite desta última quinta-feira (13), por volta das 18h, um mandado de prisão contra um homem de 29 anos suspeito de envolvido na morte do comerciante Jocimar Geraldo Grassi, de 58 anos, morador do município de Marilândia, ES.

O homicídio ocorreu na estrada do Maquiji no dia 11 de dezembro de 2019, sendo que, a esposa da vítima foi presa no dia 15 por envolvimento na morte do marido. O suspeito foi preso no bairro Sapucaia e encaminhado ao sistema prisional.


O caso continua em investigação pela Polícia Civil.

ENTENDA O CASO


Mulher é presa suspeita de mandar matar e ocultar cadáver do marido em Baixo Guandu


Jocimar Geraldo Grassi, de 58 anos, foi morto em Baixo Guandu. Crédito: Reprodução

Uma mulher foi presa suspeita de ter mandado matar o próprio marido, Jocimar Geraldo Grassi, de 58 anos. A detenção de Kelhiane Silva, de 35 anos, aconteceu neste domingo (15), após o corpo do homem ter sido encontrado na Zona Rural de Baixo Guandu, no Noroeste do Estado.

De acordo com o registro da Polícia Militar, ela mesma teria indicado a um investigador da Polícia Civil onde o marido havia sido enterrado: um local de difícil acesso, que fica próximo a uma estrada que liga a rodovia BR 259 à localidade de Maquigi.

O cadáver foi retirado pelo Corpo de Bombeiros e levado ao Serviço Médico Legal (SML) de Colatina. Ainda durante este domingo, uma filha de Jocimar compareceu ao local e fez a liberação do corpo. A vítima era de Marilândia, também na Região Noroeste do Espírito Santo.

Por meio de nota, a Polícia Civil informou que Kelhiane Silva foi autuada em flagrante por dois crimes: ocultação de cadáver e falsidade ideológica. Em seguida, ela foi encaminhada ao sistema prisional.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale com o Portal
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp