13/02/2020 às 14h36min - Atualizada em 13/02/2020 às 14h36min

Vale retira famílias que vivem a jusante de barragem em Ouro Preto

Classificada como nível 1, a estrutura será descaracterizada a partir de março

Fonte Estado de Minas
(foto: Leandro Couri/EM/DA PRESS)

Vinte oito famílias serão retiradas de região próxima à barragem Doutor , da Mina de Timbopeba, gerenciada pela Vale, no distrito de Antônio Pereira, em Ouro Preto. A informação foi repassada durante entrevista coletiva na cidade na manhã de quinta (13). A empresa informou que iniciará em março o plano de descaracterização da estrutura.

A Vale informou ainda que, durante a fase de execução das obras, os órgãos de defesa civil estadual e municipal, vão realocar as famílias residentes à jusante da estrutura, em Antônio Pereira. Os moradores serão encaminhadas para hotéis da região e, posteriormente, para moradias temporárias conforme as suas escolhas.

A barragem Doutor está em nível 1 do Plano de Ação de Emergência de Barragens de Mineração (PAEBM). Segundo a empresa, a barragem não recebe rejeitos de mineração desde março de 2019. A Vale garantiu que "não há qualquer situação que exija a elevação de nível de emergência."

Cerca de 160 animais, entre domésticos de pequeno e grande porte, serão realocados e receberão acolhimento. Eles serão levados para uma fazenda alugada pela Vale, onde receberão todo o cuidado clínico necessário e alimentação até quando puderem ser devolvidos aos seus donos.

No fim de agosto, a barragem Doutor foi reclassificada pela Agência Nacional de Mineração (ANM) quanto ao método construtivo, de linha de centro para montante. A Vale informou que fez a opção por desativar imediatamente a estrutura e proceder com a sua descaracterização, reforçando seu compromisso com a segurança e a eliminação de todas as suas estruturas a montante.
 
A assessoria de imprensa da prefeitura de Ouro Preto informou que a decisão de retirar as famílias foi tomada em conjunto com a Vale. As famílias vivem às margens do rio e a retirada é uma medida preventiva. Segundo a assessoria, as casas foram inundadas no ano passado. E, neste período de chuvas fortes, estavam sujeitas a serem tomadas pelas águas. O leito do rio também sria a rota da lama em casa de rompimento da barragem A etapa seguinte é realizar o castramento desses moradores.  
 
O distrito de Antônio Pereira fica a 40 quilômetros do Centro de Ouro Preto. A prefeitura garante que, em um eventual rompimento, não há risco para o centro histórico. A medida preventiva não altera a programação de carnaval, nem mesmo no distrito.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale com o Portal
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp