14/11/2019 às 22h58min - Atualizada em 14/11/2019 às 22h58min

Advogada é presa por intermediar venda de cocaína no Ceará; ela pedia R$ 15 mil para cada quilo, segundo a Polícia Civil

Elisângela Mororó estava foragida há um mês, com mandado de prisão preventiva por integrar organização criminosa, tráfico e associação para o tráfico; outros dois suspeitos foram detidos.

Fonte G1

Elisângela Mororó estava foragida há um mês até ser presa em Catarina, no Interior do Ceará — Foto: Divulgação/PCCE

Uma advogada de 46 anos foi presa nesta quarta-feira (13), em Catarina, no interior do Ceará, suspeita de participar de uma organização criminosa de traficantes de drogas. Segundo a Polícia Civil, ela intermediou a venda de 40 quilos de cocaína. Além dela, também foram detidos dois homens suspeitos de integrar o mesmo grupo. De acordo com a investigação, ela cobrava R$ 15 mil pelo quilo da droga. Elisângela Mororó estava foragida há um mês, com mandado de prisão preventiva por integrar organização criminosa, tráfico e associação para o tráfico.

O G1 entrou em contato com a defesa da advogada, que afirmou que vai se pronunciar sobre o caso ainda nesta quinta-feira (14).

Na ação, também foram detidos:

  • Antônio Gonçalves Neto, de 45 anos, conhecido como "Zói". Ele tem mandado de prisão em aberto por receptação, porte ilegal de arma, tráfico e associação para o tráfico
  • Vicente Leite Sobreira, de 31 anos, conhecido como "Manin". Tem três mandados em aberto por oito homicídios, porte ilegal de arma de uso restrito, tráfico, organização criminosa, receptação e associação criminosa. Faz parte de uma facção

O trio foi encontrado na casa de um homem apontado como chefe de uma facção criminosa. Com eles, a Polícia Civil localizou uma pistola com numeração raspada, meio quilo de cocaína, e dois veículos utilizados pelo grupo. Eles foram presos por tráfico de drogas, associação para o tráfico, porte ilegal de arma de fogo de uso restrito e integrar organização criminosa.

Polícia Civil conseguiu ver mensagens no aparelho celular da advogada.  — Foto: Polícia Civil do Ceará/Divulgação

Polícia Civil conseguiu ver mensagens no aparelho celular da advogada. — Foto: Polícia Civil do Ceará/Divulgação

'Todos têm que ter natal'

De acordo com a investigação, o preço inicial de R$ 15 mil por quilo da droga poderia cair conforme negociação. Em uma ligação interceptada, a conversa mostrou que o potencial comprador propôs adquirir cada quilo por R$ 5 mil. Ao fim da conversa, a advogada informou que daria um desconto e o menor preço que o fornecedor pede chega a R$ 13.500, alegando que intercedeu dessa forma, pois “todos tem que ter Natal”.

Plano de fuga de detentos

Ainda segundo a Polícia Civil, em setembro deste ano, a advogada entregou um papel junto com um biscoito com um plano de fuga para um detento que estava preso dentro de um presídio no Ceará. Na oportunidade, ela deu o bilhete primeiramente para um advogado que colocou o papel na boca do detento enquanto estavam no parlatório do Centro de Detenção Provisória. O plano de fuga que foi frustrado por agentes penitenciários.

Advogada entregou um plano de fuga para um detento que estava preso dentro de um presídio no Ceará. — Foto: Polícia Civil do Ceará

Advogada entregou um plano de fuga para um detento que estava preso dentro de um presídio no Ceará. — Foto: Polícia Civil do Ceará

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale com o Portal
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp