17/09/2019 às 09h49min - Atualizada em 17/09/2019 às 09h49min

Três homens são presos por abusar sexualmente de pelo menos 10 crianças

Dois deles seriam pais das vítimas. Sete crianças têm entre 2 e 14 anos, e o crime acontecia há sete anos

Fonte Estado de Minas
Delegado dá coletiva na Delegacia de Ibirité sobre a Operação Inocência. (foto: PCMG/Divulgação)

Três homens foram presos por abusar sexualmente de pelo menos 10 crianças. Dois deles são suspeitos de praticar o ato contra seus próprios filhos. Os mandados de prisão foram cumpridos pela Polícia Civil, em Ibirité, Região Metropolitana de Belo Horizonte, durante a Operação Inocência, deflagrada entre os dias 13 e 16 de setembro.

O delegado Wellington Faria informou, em coletiva à imprensa, que o primeiro suspeito, de 31 anos, foi preso na quarta-feira (13) por abusar de quatro filhos e três sobrinhos, por sete anos seguidos. Cinco meninas tinham entre 2 anos e 14, e dois meninos de 9 anos  e 12. No momento da prisão, o homem ainda confessou detalhes sórdidos do crime e ressaltou que obrigava as crianças a manter relações entre si. A polícia acrescentou que as crianças tinham medo do pai e por isso não o denunciaram. A mãe não sabia do ocorrido.

Na sexta-feira (16), o outro homem, de 76 anos, foi preso por abusar de uma menina de 9 anos no ano passado. Ele é militar reformado e exercia a função de catequista em uma igreja católica em Ibirité. Segundo a polícia, após a aula religiosa ele atraía a criança para uma sala e cometia o ato. A igreja não sabia do ocorrido. O suspeito foi afastado do cargo, conforme o delegado.

O terceiro homem, de 56 anos, foi preso no mesmo dia (16) por violentar a filha de 8 anos. Durante as investigações, a filha mais velha do suspeito, de 24 anos, confessou  também ter sido abusada quando era  mais nova e que esse crime durou sete anos. A mãe das duas vítimas foi indiciada por estupro vulnerável. De acordo com a PC, ela sabia que sua filha mais velha tinha sido abusada e permitiu que a mais nova, de 8, continuasse tendo contato com o pai.

Conforme o delegado, todas as crianças passaram por atendimento psicológico e pela assistente social na Delegacia de Ibirité. Medidas protetivas foram solicitadas.
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale com o Portal
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp