13/08/2019 às 15h19min - Atualizada em 13/08/2019 às 15h19min

Corpo de motociclista que morreu em acidente na Serra

Tiago Santos Oliveira, de 34 anos, foi atingido por um veículo que estava na contramão nesta segunda-feira (12); o grave acidente aconteceu na BR-101, na altura de Campinho da Serra.

Fonte G1/ES
Corpo de motociclista que morreu em grave acidente na Serra, Espírito Santo, é velado — Foto: Reprodução/ TV Gazeta

O corpo do motociclista que morreu vítima de um acidente na manhã de segunda-feira (12) na BR-101, em Campinho da Serra, na Serra, está sendo velado nesta terça-feira (13). A despedida acontece na igreja Assembleia de Deus, onde o motociclista Tiago Santos Oliveira, de 34 anos, frequentou por 25 anos.

Tiago era maestro, músico dedicado e querido por muita gente. "Era conhecido nessa Vitória e até no país. Fora do estado era muito querido. Foi convidado para ir para os Estados Unidos, França, Portugal... E ele disse 'pai, eu não vou. Vou ficar aqui'", disse Antônio Vieira, pai do maestro.

"Hoje estou com o meu filho no caixão, daqui a pouco levo para o cemitério por causa da imprudência de um motorista que não sabe andar na estrada".


Corpo de motociclista que morreu em grave acidente na Serra é velado — Foto: Reprodução/ TV Gazeta

O maestro ia para Ibiraçu dar aula, quando um carro invadiu a contramão e bateu de frente com a moto que ele conduzia. Com o impacto, Tiago foi arremessado para o alto e a moto dele explodiu na hora e ficou em chamas.

"Ele tinha deixado a minha cunhada em Chácara Parreiral, na escola onde ela dá aula de violino, e estava indo para Ibiraçu, onde ele dava aula também. Fazia esse percurso há cinco anos. Infelizmente na segunda-feira (12) ele foi e não voltou", lamentou o irmão de Tiago, Samuel Oliveira.

Acidente será investigado

O acidente será investigado pela Delegacia de Delitos de Trânsito. A polícia disse que o motorista do carro que invadiu a contramão e atingiu a moto de Tiago tem 45 anos. Ele foi para a delegacia, prestou depoimento e foi liberado em seguida, como prevê o Código de Trânsito Brasileiro (CTB).

"Enquanto a lei for branda, vai ter gente sentando no volante e assumindo o risco e nada sendo feito porque pode ser que ele seja preso, responda processo, pague fiança... Quantos acidentes vão ocorrer até isso mudar?", disse Samuel, irmão de Tiago.

O irmão mais novo de Tiago também dá aula de música em Ibiraçu. Ele pede mudanças na rodovia onde o acidente aconteceu. O trecho já foi considerado um dos mais perigosos do país na BR 101.

"Ainda dou aula em Ibiraçu e vou continuar passando por aquela rodovia, que já é perigosa. Eu quero fazer um pedido aqui e enfatizar ao governo do estado que cobre a Eco-101 para que haja providência com isso, para que mais vidas não se percam em acidentes de trânsito naquele lugar", pediu.

A Polícia Rodoviária Federal do Espírito Santo (PRF-ES) concorda que o acidente poderia ter sido evitado de diversas formas.

"Se houvesse um canteiro central ou uma mureta divisória, seria dificultada essa ida para a contramão... Ele não poderia usar desse recurso. O principal é obedecer o limite de velocidade. Quanto maior a velocidade, menos o tempo de reação e, ali, pela configuração da via, a pior decisão foi tomada pelo condutor do carro, que foi derivar para a contramão e ferir gravemente, matar, o motociclista que vinha em sentido contrário", explicou
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »
Fale com o Portal
Atendimento
Precisa de ajuda? fale conosco pelo Whatsapp