19/04/2017 às 16h42min - Atualizada em 19/04/2017 às 16h42min

Associações guanduenses são premiadas e recebem R$ 700 mil da Fundação Banco do Brasil

Com informações da PMBG

Os projetos foram premiados pela Fundação Banco do Brasil em função do seu alcance sócio econômico. Na foto, os catadores da ASCAMARE

Em solenidade realizada ontem (18/04) no auditório do Centro de Referência em Atendimento Social (CRAS), a Secretaria de Desenvolvimento de Baixo Guandu e a Fundação Banco do Brasil oficializaram a liberação de R$ 700 mil a três associações guanduenses premiadas em projetos de interesse social e econômico.
 
Os recursos, que já estão sendo utilizados nos projetos, beneficiaram a Associação de Catadores de Materias Recicláveis (Ascamare) e das Costureiras de Mascarenhas ( R$ 300 mil), a Associação de Pequenos Produtores Rurais do KM 14 do Mutum (R$ 250 mil) e a Associação de Produtores de Vila Nova do Bananal ( R$ 150 mil).
 
Dos 11 projetos premiados no Espírito Santo pela Fundação Banco do Brasil, três são de Baixo Guandu. Segundo o gerente da agência local do BB, Elvis Ubiratan, isto reforça a força do associativismo local em parceria com a administração do município, resultando em desenvolvimento econômico e social.
 
O prefeito Neto Barros salientou na solenidade a importância da união neste momento de dificuldade econômica, tomando como exemplo as associações que tiveram projetos aprovados pela Fundação Banco do Brasil.
 
“São recursos importantes, que reforçam o trabalho das associações e permitem geração de renda para dezenas de famílias”, afirmou o prefeito, que reafirmou a parceria da gestão municipal com as entidades associativistas do município.

Aplicação

Os recursos da premiação do Banco do Brasil  estão sendo aplicados pela Ascamare (R$ 300 mil) na compra de balança, prensa e empilhadeira , além de um utilitário com carroceria zero quilômetro. Tudo isso para facilitar o processo de integração dos catadores à coleta seletiva da cidade.
 
Já a Associação das Costureiras de Mascarenhas  está  recebendo capacitação em serigrafia e com os recursos vai  também  confeccionar  roupas  utilizando malha ecológica.
 
Os R$ 250 mil doados à Associação de Pequenos Produtores do KM 14 estão sendo aplicados em construção de caixas secas , com 830 horas de máquina contratadas, construção de 45 fossas sépticas, implantação de pomares e cursos de capacitação técnica dos agricultores.

A Fundação Banco do Brasil liberou também recursos  à Associação de Produtores de Vila Nova do Bananal, para produção de hortaliças e legumes através da hidroponia, um sistema inédito na história de Baixo Guandu.
 
Os secretários municipais de Desenvolvimento Clóvis Rodrigues e de Agricultura Alony Torres, que acompanharam com suas equipes técnicas a elaboração dos projetos, consideram a premiação da Fundação BB um passo importante para ampliar este trabalho associativista “Trabalhando em grupo, com união, as associações apresentam sempre resultados supreendentes. Consequência  disso é a premiação da Fundação BB”, disse Clovis Rodrigues.

Na solenidade ontem,  além do prefeito Neto Barros e o vice Eloy Avelino, estiveram presentes secretários municipais, o gerente do BB em Baixo Guandu Elvis Ubiratan e os presidentes da Ascamare JoséLuiz Coutinho e da Associação do KM 14, Arlene Milani Ribeiro da Silva.

Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »